20 de julho de 2005

Quero amar-te

Quero amar-te como se o depois fosse nunca
E o agora fosse o sempre.
Apenas tu iluminas o meu ser, o meu espírito
E dás vida aos meus olhos.
És um caminho, não um fim,
A ponte para a terra prometida,
A nuvem leve que nos transporta para um infinito
Em que o pensamento é vento fraco e suave
E o sentimento é o sol quente e aconchegante
Que nos abraça e nos une.

Smile.

2 comentários:

Toranjinha disse...

Um lindo poema sobre o amor... Muito lindo mesmo! Gostei imenso. É isso mesmo!

Retalhos disse...

Palavras que ressoam nos sentidos de quem as lê e/ou que soam a grande amor a quem as (também) sente.

Gostei muito.